07-04-2020

Notícias da semana

  •  

    Domingo

    • O Diário de Notícias noticiaque, no Algarve, a multiplicação de casas em Alojamento Local tem provocado um aumento nos preços de limpeza, havendo já quem pague 15 e 16 euros à hora;

    2ª feira

    • Na página online da Revista Sábado, pode-se ler uma notíciasobre as casas de luxo no Chiado que são vendidas para Alojamento Local. É referido que a rentabilidade pode chegar aos 15%;


    3ª feira

    • É uma das notícias da semana sobre o sector: a proposta sobre os hostels deixarem de ser considerados Alojamento Local. O jornal online ECO destaca isso mesmo, citando a secretária de estado Ana Pinho, que foi ouvida no Parlamento, no âmbito das propostas de alteração à legislação de Alojamento Local;
    • Encontrámos uma reportagem interessante sobre a dinamização do Bairro Herculano, no Porto, onde turistas e moradores convivem de forma saudável, muito graças ao investimento feito em Alojamento Local naquela zona da cidade;
    • Notícia detalhada sobre o investimento imobiliário na Madeira, onde o Alojamento Local é referido como uma aposta com retorno garantido;


    5ª feira

    • Novamente a questão dos Hostels, mas também a questão relacionada com a transmissão automática de um proprietário para o outro dos registos e licenças de Alojamento Local, são abordados pela secretária de estado Ana Pinho, em notícia do Idealista;


    6ª feira

  •  

    2ª feira

    • Um relato impressionante de um proprietário de Alojamento Local que lutou com as próprias mãos para salvar a sua propriedade em Figueiró dos Vinhos;
    • É notíciaa acusação feita à Comunidade Europeia de estar a contribuir para que não haja limitação ao Alojamento Local;
    • A propósito de uma reportagem sobre os 20 anos da Expo 98, ficamos a saber que o Parque das Nações tem 300 casas em Alojamento Local.

    3ª feira


    4ª feira


    5ª feira

    • É citado pela publicação online ECO um artigo do New York Times onde se destaca a recuperação económica da capital portuguesa, destacando o Alojamento Local como um dos principais impulsionadores;
    • O Dinheiro Vivo faz uma reportagem sobre as férias dos portugueses, referindo que a geração millennial está a mudar o paradigma no tipo de alojamento procurado, recorrendo cada vez mais ao Alojamento Local;


    6ª feira

    • O Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa, defende que pode haver “situações de quota zero” para o Alojamento Local tema que está a ser debatido no Parlamento e que certamente irá ser notícia nas próximas semanas.
  •  

    2ª feira

    • Reportagem do Público que fala sobre o que está em causa na discussão na Assembleia da República para trazer alterações ao regime de Alojamento Local;

    3ª feira

    • Em reação às propostas de alteração à lei do Alojamento Local, várias entidades relacionadas com o turismo vieram tecer críticas, reforçando que a necessidade de aval por parte dos condóminos irá criar litígios;


    4ª feira


    6ª feira

    • É notícia a disputa entre os estudantes de uma república em Lisboa que ponderam ir para tribunal para impedir que a República do Santo Condestável seja transformada em Alojamento Local por intenção do proprietário, que se recusa a renovar o contrato de arrendamento.
  •  

    2ª feira

    • Num artigo do Jornal Económico, Madalena Perdigão, associada coordenadora da área de Turismo & Lazer da CCA Ontier, realça o papel do Alojamento Local no investimento que surge no interior do país. Os incentivos fiscais tornam aliciante esta opção de negócio e há cada vez mais clientes individuais a aventurarem-se no sector;

    3ª feira

    • O que é que o Alojamento Local tem a ver com um arraial de sardinhas? O Jornal Económico começou por dizer que tinha sido o AL o responsável pelo cancelamento de um arraial no bairro do Castelo, mas afinal parece que não era bem assim. Perceba porquê aqui;


    4ª feira


    5ª feira

    • O Presidente da Câmara do Porto vem-se mostrar contra as medidas anunciadas para regular o Alojamento Local, classificando-as como sendo “medidas punitivas e diabolizadoras do alojamento local”;
    • Anunciados os vencedores do galardão Green Key, que distingue os estabelecimentos turísticos que implementam boas práticas ambientais e sociais. A cerimónia teve lugar nesta quinta-feira e foram diversos os Alojamentos Locais distinguidos. Conheça aquios premiados;


    6ª feira

  • Não precisávamos escrever este artigo de opinião a partir de outro, mas na verdade veio a necessidade de o escrever a partir da leitura do artigo do ECO de 25 de Agosto. Que no global é um artigo esclarecedor e positivo. O que deixamos aqui é mais uma visão social e política na breve história do Alojamento Local a complementar os números. 


    Até 2014, quase tudo se fazia dentro da economia paralela. 

    Ninguém pagava impostos mas também ninguém se chateava e o estado/político não se preocupava. Em 2014 regulamentou-se, com o Regime Jurídico do Alojamento Local, de forma simples sem embandeirar em "simplexes". Os registos e legalizações dispararam, os empresários legalizaram, novos vieram porque FINALMENTE algo se começava a regular sem burocracias, ou seja, foi encontrada uma formula equilibrada entre a economia paralela e um controle do estado por via de uma legislação fácil de perceber pelo cidadão.

    2015..., foi um sucesso a lei de 2014.
    Com 40.000 novos registos por via da desburocratização. Mas em Portugal muita pessoas não gostam que o vizinho do lado tenha sucesso mesmo que pague os seus impostos, trabalhe 12 a 16 horas por dia incluindo fins de semana. Muitos não gostam dos que saem da fila da carneirada e entrem no grupo dos bem sucedidos pelos seus próprios meios.

    2016..., o assunto tornou-se sério.
    Uma vaga de 50.000 portugueses e estrangeiros colocam aqui o seu dinheiro e não em offshores.
    Deixam em Portugal os seus impostos e não em países bem mais amigos do contribuinte, como a Holanda por exemplo.

    2017..., estes 70.000 são agora avisados.
    O sucesso com trabalho é para acabar e o melhor é juntarem-se à carneirada dos subsídio dependentes, porque a famosa lei do do Alojamento Local de 2014 é para acabar. Enquanto isso, não se vê na comunicação social uma única notícia de fiscalização aos que se mantiveram ILEGAIS, mesmo sendo simples encontrá-los..., basta ir ao OLX !

    2018
    Fim do que melhor tinha a famosa lei 128 / 2014 e o que se lê na verdade não é regulação, é acabar com o sucesso destes investidores que têm o vírus do saber fazer muito com pouco, na verdade um vírus saudável, mas que provém de economias de mercado de sucesso que tanta comichão fazem a alguns socialistas. Aqueles que tão preocupados estão com as pessoas, que enquanto na mão direita “sentam as madonas” com a mão esquerda “puxam o tapete” a 70.000 investidores Portugueses. 

    Portanto toca a “blocar” !

     

    António Santos

    zibilocal 2