19-08-2019

A ANÁLISE | OPINIÃO

É preciso tirar a cabeça do buraco na areia

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Este artigo não é de tricas, mas parte da entrevista que Raul Martins, o presidente da AHP ( Associação Hotelaria de Portugal ), deu à publicação PRESSTUR, que não é muito diferente de outras entrevistas anteriores, quando fala de Alojamento Local, ( quantas mais virão no mesmo tom? ). A única coisa que achamos que há para dizer, é que na realidade, o senhor presidente da AHP, parece estar num processo de auto descredibilização, não atualização, miopia e que esperamos sinceramente que isso acabe por não afetar de forma mais séria a Associação de Hotelaria de Portugal. Seria mau para os Hoteleiros e para o Turismo Português.

Até porque Raúl Martins tem responsabilidades no grupo Altis, que detem mais de 30 apartamentos registados como Alojamento Local. 


O 29º Congresso Nacional da AHP, começa hoje dia 15 de Novembro de 2018 e parece-nos que se alguém não aproveitar a oportunidade para conversar e esclarecer cabeças como a do presidente da AHP, é uma oportunidade de ouro perdida.

Temas e palestrantes:

PAINEL 1 | O Turismo na Europa das Regiões  

PAINEL 2 | A condição periférica de Portugal

PAINEL 3 | Como crescer sem perder a identidade

PAINEL 4 | As pessoas: a aposta de sempre, os reptos do futuro

PAINEL 5 | O Futuro do Hotel Revenue Management

PAINEL 6 | Novas tendências do alojamento

É de algum interesse ver a lista de palestrantes

 

Note-se que este Congresso é de Hotelaria e Turismo..., turismo no seu global. O que faria todo o sentido ver-se um debate aberto a propósito do fenómeno mundial e nacional, que é a procura genuína dos turistas pelo alojamento em casas privadas, Alojamento Local em Portugal.

Até percebemos, que enquanto não se sair da caixa, do quadrado, do entulho e comportamentos de corporativismo tão marcados em Portugal, um congresso destes não vai ter a coragem de colocar o assunto em cima da mesa de forma aberta. Será que algum dos palestrantes o vai fazer por sua própria iniciativa, ou  será só abordado por alto no Painel 6 ou nem isso?

E se algum o fizer, será de forma condicionada pelas pressões corporativistas, ideológicas, financeiras, partidárias, como temos assistido em muitos “canais” ? Ou será olhando para o inevitável, que é o facto de governos e estados deste planeta não conseguirem contradizer por muito tempo, aquilo que é a vontade das pessoas evoluírem, fazerem diferente, ter experiências e o direito a escolher em liberdade, até no simples facto de quererem dormir fora de casa..., numa casa, em vez do tradicional hotel e que isso é legitimo e legal.

Realmente é verdade Sr presidente da AHP..., o AL não é concorrente..., complementa, no mesmo sentido de um apoio ao turismo de elevada qualidade. Algo que até já foi reconhecido por pessoas influentes e responsáveis do setor da hotelaria, do turismo e não só. Pessoas que sim..., conhecem, sabem o que é Alojamento Local, a sua qualidade e os milhões de € que permite que fiquem em Portugal, em vez de outro país concorrente em termos turísticos.

E sim, porque AL é uma sigla de um tipo de Alojamento para Turismo devidamente regulamentado em Portugal, em que quem os gere, não são “totós”.

E sim, um AL tem casa de banho privada, espaço privado, limpo, com regras a preços que vão de 30€ a 400€/noite e até mais..., e com mais uma coisa..., é feito por pessoas para pessoas e onde se pode ficar a 2, em família ou com amigos, não precisa ter quartos comunicantes, há oferta diversificada, personalizada que se adapta de forma natural ao que os turistas de hoje e do futuro procuram. E não, AL não são só espaços partilhados, ou Hostels, com quartos e casas de banho partilhados como o Sr Presidente da AHP mantém bem vivo, sem perceber que o mundo muda muito mais depressa que alguns cérebros.

E o mundo muda, porque cada vez mais, o mundo partilha, numa crescente economia de partilha, em vez da concentração. Essa é uma das maiores batalhas silenciosas a que o mundo está a assistir.
É a partilha de recursos e proveitos em que MUITO se partilha por MUITOS em oposição à concentração, em que MUITO se partilha por POUCOS. Grande verdade Sr Presidente da AHP..., o AL não é concorrente, é complementar, concordamos consigo PORQUE PARTILHA os muitos alojamentos, com os muitos hotéis, sem entrar em competição prejudicial, estupidificante e desnecessária.

Esperamos sinceramente que no ano em que a Organização Mundial do Turismo, definiu como o ano do turismo sustentável, saiam do 29º Congresso da AHP coisas limpas e responsáveis que contribuam para o crescimento saudável do turismo sustentável.

 

zibilocal 2